Histórico

O Instituto Girassol de Desenvolvimento Social, foi iniciado inicialmente pelo Grupo Girassol, composto por cinco instituições que há mais de cinco anos vinham desenvolvendo importantes ações voltadas para a efetivação de seus fins institucionais: a defesa de direitos de crianças e adolescentes no Estado de Alagoas, especialmente na cidade de Boca da Mata.

O grupo recebeu o nome de girassol em razão de ser uma linda flor com pétalas grandes e unidas que giram em busca da luz do sol, também são utilizadas para fertilizarem o solo. Pois, as usinas canavieiras do nordeste brasileiro exploram bastante a terra nessas regiões com a monocultura da cana de açúcar empobrecendo o solo, e para recuperá-lo plantam girassóis e misturam na terra para revigorar a fertilidade do mesmo.

O Grupo Girassol teve início em outubro de 2003, após o Fórum Estadual de Conselhos Tutelares, onde neste mega evento participaram 09 (nove) Estados do Nordeste e 90 Municípios do Estado de Alagoas.

Atraindo olhares de pessoas preocupadas com a causa da garantia e defesa de direitos de crianças e adolescentes, as instituições envolvidas: Promotoria de Justiça de Boca da Mata, MNMMR – Movimento Nacional de Meninos e Meninas Comissão Local, Universidade Federal de Alagoas, Radio Comunitária Boca da Mata FM e Secretaria Municipal de Educação, receberam um convite muito importante da Doutora Sílvia Maria Pompéia, na época consultora da ABDL – Associação Brasileira para Desenvolvimento de Liderança, convidando as instituições a participarem de um processo seletivo no PRONORD 2004, Programa de Desenvolvimento do Nordeste.

Além da proposta de Boca da Mata outras propostas do Estado de Alagoas foram enviadas, e o Projeto Girassol foi pré-selecionada e consecutivamente aprovada. O grupo então iniciou uma maratona no aprimoramento da proposta participando de 04 Seminários realizados em João Pessoa, Xingo, Alagoas e Recife.

A cada retorno do seminário as instituições proponentes buscaram agregar parceiros e dar total transparência para que a proposta fosse conhecida por todos os atores envolvidos isto é, o aprendizado adquirido durante a participação do Projeto Girassol, nos quatro encontros promovidos pela ABDL – Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Liderança e na realização dos trabalhos de campo foram socializados na comunidade por meio de seminários de lideranças e da elaboração de um Diagnóstico Rápido Participativo.

Após um período de mais de um ano de construção, finalmente a proposta vira projeto e então a Fundação KELLOGG analisou e aprovou para um período cinco anos sendo por etapas. A primeira etapa foi correspondente a 18 meses compreendendo de outubro de 2005 a abril de 2007.

Vale salientar que desde o início o Projeto Girassol surge como fruto de uma construção coletiva contanto com o apoio de instituições públicas governamentais e não governamentais e as atividades desenvolvidas sempre foram no sentido de promover ações que gerassem mudanças no contexto local com ênfase para o trabalho com a juventude.

Assim com o passar do tempo o projeto Girassol ampliou suas dimensões mesmo em meio a grandes desafios, pois, no município de Boca da Mata ainda não se tinha trabalhos sistematizados e organizados voltados para as juventudes locais. Sendo assim, em 2006, por conta do crescimento das ações, foi criado o Instituto Girassol de Desenvolvimento Social com a missão de  impulsionar o protagonismo juvenil, com vistas ao desenvolvimento local, com a prática educativa fundamentada na Educação Popular e princípios voltados para a abordagem pedagógica de Paulo Freire.

No ano de 2007 o Instituto Girassol de Desenvolvimento Social para conseguir atingir sua missão na área voltada à educação criou a Biblioteca Silvia Pompéia, que no seu primeiro ano de criação buscou de forma democrática e participativa a sua organização e formação ao lado de muitos parceiros, desenvolvendo importantes ações como: rodas de leituras permanentes e itinerantes, sessões de filmes, grupos de dialética com temas ligados a juventudes, lideranças, terceiro setor, literatura e capital produtivo[1]. A Biblioteca Sílvia Pompéia também criou o primeiro PROLER[2] de Boca da Mata.

O nome da biblioteca foi uma homenagem à Doutora Sílvia Maria Pompéia[3], pois a mesma vem contribuindo no desenvolvimento do Instituto Girassol de Desenvolvimento Social, inicialmente por meio da ABDL, e posteriormente por meio de consultorias em elaborações de ferramentas pedagógicas e de gestão bem como em elaborações de projetos que são enviados a financiadores.

O Instituto intensificou sua ação na elaboração de projeto com o objetivo de viabilizar sua missão. Um destes projetos sociais foi firmado parceria com a Universidade Federal de Minas Gerais, por meio da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa onde desenvolveu o Fundo De Apoio a Projetos de Jovens, que teve como objetivo apoiar idéias e ações de grupos de jovens, a serem desenvolvidas nas suas respectivas comunidades.

O fortalecimento do FUNDO DE APOIO A PROJETO DE JOVENS foi muito importante para ampliar a participação da juventude nas ações do Instituto, bem como nos espaços políticos do município. Os projetos apoiados pelo FUNDO passaram a se articular entre si e com outros espaços da comunidade e despertou a capacidade de liderança e de participação de muitos jovens nas comunidades trabalhadas pelo Instituto.

O Instituto Girassol de Desenvolvimento Social vinha percebendo que as ações socioculturais que desenvolviam não bastavam para o incentivo ao processo de protagonista juvenil e o desenvolvimento do território, mas precisava investir e desenvolver ações voltadas à área econômica em geração de emprego e renda para a juventude de Boca da Mata. Foi nesse ano de 2007 que o IGDS  enviou um projeto para o Programa Petrobras – FIA, onde se deu a criação da UBF – Unidade de Beneficiamento de Frutas. A UBF é gerida por um grupo de jovens que vem estruturando as condições necessárias para a produção e comercialização de doces.

Vale ressaltar que ainda pensando na geração de emprego e renda para a juventude, o Instituto buscou com muitos esforços junto com a Promotoria de Justiça de Boca da Mata – AL e a Delegacia Regional do Trabalho a implantação do Programa Jovem Aprendiz na Usina de cana de açúcar local – Triunfo Agro Industrial S/A.

No ano de 2008 o Instituto por meio da Biblioteca desenvolveu um projeto de grande relevância para a juventude local, criando o 1º Curso Pré-vestibular Comunitário, pois muitos jovens do município de Boca da Mata não tinham a oportunidade de se matricular em um cursinho pré-vestibular, principalmente os de baixa renda, pois quando conseguiam terminar o ensino médio não tinham expectativas de cursar a universidade e buscando a melhoria de vida no que se referem à questão econômica.

Muitos jovens pensavam e alguns ainda pensam que suas vidas já estão predestinadas ao trabalho canavieiro, ou seja, ao corte e plantação de cana de açúcar na usina local ou ate mesmo fora do Estado. A implantação do cursinho pré-vestibular foi muito importante, tendo obtido excelentes resultados em termos de participação e de aprovação.

Quarenta jovens do município que incorporaram o Cursinho pré-vestibular passaram a fazer parte do Instituto e quinze atualmente estão na Universidade.

Simultaneamente a Biblioteca Sílvia Pompéia começou a desenvolver atividades usando vídeos e em pouco tempo percebeu que as ações voltadas ao áudio visual estavam crescendo e tomando uma proporção grande e que não poderia ser apenas mais uma ação a ser desenvolvida. Desta forma foi discutida e refletida uma alternativa de ampliar as ações criando assim o primeiro cineclube de Boca da Mata denominado Cineclube Cláudio Luiz Galvão Malta[4].

O Nome do cineclube foi em homenagem ao Promotor de Justiça Doutor Cláudio Luiz Galvão Malta que além de ser um dos idealizadores e fundadores do Instituto Girassol e também um grande incentivador do processo de Protagonista Juvenil, vem contribuindo no desenvolvimento de ferramentas pedagógicas e de gestão, bem como na elaboração de projetos que são enviados a potenciais financiadores do IGDS.

O Cineclube Cláudio Luiz Galvão Malta é dirigido por jovens da comunidade, com a finalidade de exibir filmes para as comunidades urbanas e rurais da região proporcionando às pessoas um espaço para lazer, socialização, ampliação do universo cultural e apreciação de filmes como obra de arte. O Cine Clube busca forma e instigar comunidade a refletir sobre sua realidade provocando-as a saírem da conformidade, levando a percepção de que são protagonistas de sua própria história.

Outra importante ação do IGDS, realizada em 2008 foi o Fundo de Apoio a projetos de Jovens no mesmo ano lançou o primeiro edital para grupos de jovens que apresentassem propostas de projetos e 10 grupos foram contemplados com o financiamento de três mil reais cada, liberados em três parcelas. A principal meta era fortalecer grupos informais de jovens que desenvolvesse alguma ação dentro da comunidade. Ainda nesse mesmo ano a direção da Fundação Major José Tenório[5]resolveu encerrar suas atividades doando seus bens ao IGDS que foi a Instituição indicada pela promotoria de justiça de Boca da Mata – AL.

No ano de 2009 a BSP – Biblioteca Sílvia Pompéia, ainda como estratégia de incentivo a leitura, criou o primeiro grupo de contadores de historia do município de Boca da Mata denominado Grupo de Contadores de História Amigos da Leitura, e com muito esforço duas das integrantes participaram de um curso profissionalizante, com duração de um ano, de contadores de historia oferecido pelo SESC.

No mesmo período, o IGDS por meio da BSP – Biblioteca Silvia Pompéia, formalizou uma parceria com o Instituto Paulo Freire para uma ação de alfabetização de jovens e adultos, financiado pelo Programa Mova Brasil da Petrobras.

Ainda em 2009, o Instituto propôs a criação de um projeto ligado à área de tecnologia e do áudio visual, que é o Ponto de Cultura Girassol. Este projeto começou com um grupo de jovens ligados a área da tecnologia e foi financiado como Ponto de Cultura pelo Governo Estadual/Federal, por meio do Ministério da Cultura, por um período de três anos, desenvolvendo as seguintes ações:

–     Fortalecimento das ações realizadas, voltadas à cultura digital do Instituto Girassol e em nosso território, e

–     Criando e fortalecendo uma rede estratégica de instituições e jovens que possam multiplicar ações de incentivo à cultura e às novas tecnologias nas comunidades e escolas existentes no território.

Nesta perspectiva foram propostos dois objetivos que se constituem em eixos estratégicos de toda a idéia: fortalecimento da institucionalidade do Cineclube e criação de um ambiente virtual que agregue as diversas expressões da cultura e da produção digital do território de Boca da Mata que vem desenvolvendo um trabalho inovador e vanguardista que tem servido de paradigma para toda a região.

O Cineclube de Boca da Mata se constitui em um importante ativo sócio cultural, tendo uma atuação muito forte na comunidade por meio das jornadas de cinema itinerante que vem acontecendo nas comunidades locais.

Neste mesmo ano, o Instituto percebeu o problema e as conseqüências ocasionadas pelo consumo de drogas na vida dos jovens de Boca da Mata e então criou o projeto “Amo a Vida”, financiado pela Petrobras. O mesmo passou a desenvolver várias estratégias de enfrentamento a estes problemas, resgatando as condições de vida digna para os que sofrem com essa doença. O Projeto Amo a Vida teve como parceria a Policia Militar de Alagoas, que lançou em Boca da Mata, o Programa PROERD – Programa Educacional de Resistência as Drogas e a Violência, desenvolvendo um trabalho com ações de prevenção em todas as escolas do Município envolvendo crianças, adolescentes, jovens e adultos.

Em 2010 a Biblioteca Sílvia Pompéia criou o Telecentro Petrobras, que tem por objetivo quebrar da exclusão digital no município de Boca da Mata. A mesma ainda desenvolveu um projeto para o fortalecimento do Grupo de Contação de História Amigos da Leitura, projeto que foi financiado pela Fundação Luterana e pelos bancos BNB[6] e BNDS[7].

Ainda neste mesmo ano, o Fundo de Apoio a Projeto de Jovens lançou seu segundo edital, que contemplou mais onze projetos desenvolvidos por grupos de Jovens das Comunidades de Boca da Mata.

O Instituto Girassol com o intuito de contribuir com o desenvolvimento do Município de Boca da Mata começa a participar das reuniões do território da cidadania o mesmo fortalece sua participação nas discussões do território com esse fortalecimento o colegiado solicita ao Girassol apresentar projeto para o Ministério do Desenvolvimento Agrário, pois na ocasião o Instituto Girassol é a única instituição que poderia apresenta proposta isso se deu por motivos administrativos, portanto, o Instituto Girassol junto com o colegiado fez o projeto e enviou para o Ministério do Desenvolvimento Agrário o qual foi financiado e o mesmo tem o propósito de fortalecer o território da cidadania (O Programa de Territórios da Cidadania é parte do esforço conjunto do Governo Federal para priorizar suas ações em regiões e sub-regiões).

Em maio deste mesmo ano o IGDS adquiriu uma sede própria com recursos oriundos das doações da Fundação Major José Tenório para o Instituto Girassol.

O Instituto, ainda em 2010, encaminhou para a Petrobras um Projeto denominado “Juventude Cidadã” cuja principal ação desse projeto era o incentivo: a formação política e a formação de novas lideranças jovens no território de Boca da Mata.

Com o conhecimento adquirido no desenvolvimento desse projeto e dos demais, o Instituto Girassol resolveu então escrever outro projeto com base na experiência acumulada em todos os projetos realizados, contudo dando uma maior dimensão que resultou no Projeto Academia do Desenvolvimento Juvenil, esse também foi financiado pela PETROBRAS durante o biênio 2011 e 2012.

O instituto Girassol de Desenvolvimento Social ao longo de sua história conseguiu mobilizar diretamente de 1000 jovens e 1500 crianças e adolescentes do município de Boca da Mata, captar R$ 3.439.214,42 (três milhões, quatrocentos e trinta e nove mil, duzentos e quatorze reais e quarenta e dois centavos), possibilitando a aquisição de duas sedes uma no centro de Boca da Mata e outra na zona Rural que fica no povoado do Peri-peri e uma unidade de beneficiamentos de doces, gerou 100 empregos diretos e mobilizou 12 investidores sociais nacionais e internacionais tais como: Petrobras, Kellogg e Governo Federal entre outros.

 

[1] Capital Produtivo – Recursos intangíveis e palpáveis os mesmo geram oportunidades de trabalho e renda para as pessoas de uma comunidade

[2] PROLER – Programa Nacional de Incentivo à Leitura – é um projeto de valorização social da leitura e da escrita vinculado à Fundação Biblioteca Nacional e ao MINC – Ministério da Cultura.

[3] Sílvia Maria Pompéia é Doutora em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e Formada em Ciências Físicas e MSC em Ciência Ambiental (USP, 1995). É consultora em diversos projetos, no Brasil e em outros países, tendo competência especial em temas relacionados à capacitação, gestão participativa, construção de equipe e fortalecimento de comunidade. Com grande experiência em governos locais e educação pública. Silvia tem colaborar para várias publicações tais como Manual da OPAS em Saúde Ambiental para Sistemas Locais de Saúde (usado na América Latina e África), Projeto de Execução Descentralizada no Municípios Costal (lidando com os recursos marinhos,  Estado de São Paulo), Meio Ambiente como Tema Transversal no Sistema Nacional do Brasil para a Educação, Instrumentos Participativos de Educação Ambiental. É membro e conselheira na Associação Educacional Labor (ONG que apóia escolas públicas) e Instituto Pharos (ONG para proteger os recursos marinhos do Brasil e da zona costal).

[4] Cláudio Luiz Galvão Malta é mestre em Políticas Públicas pela Universidade Pompeu Fabra – Espanha. Foi Promotor de Justiça da Infância e Juventude de Boca da Mata nos anos 1998 a 2008. Incentivou a criação de algumas instituições tais como: Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Comissão Local do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua de Boca da Mata e conseqüentemente o Instituto Girassol de Desenvolvimento Social. Atualmente ele é Promotor de Justiça do Município de Rio Largo.

5  Fundação Major José Tenório era um museu onde se encontrava a história do primeiro usineiro de Boca da Mata que fundou a Usina Triunfo. 

[6] BNB – Banco Nordeste Brasil.

[7] BNDS – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *